7 Sítios arqueológicos a visitar nas férias

Portugal, de norte a sul, é rico em património arqueológico, contemplando uma variedade de períodos cronológicos e tipologias. Para estas férias sugerimos 7 sítios a visitar, que não esgotam, de todo, a extensa lista de sítios arqueológicos existentes no país.

 

Citânia de Santa Luzia

A Citânia de Santa Luzia, também chamada de “cidade velha” situa-se em Viana do Castelo, no monte do Santa Luzia. A sua localização terá permitido um domínio estratégico do Rio Lima e da sua foz, bem como de uma área considerável da costa atlântica.

Trata-se de um Povoado da Idade do Ferro, com uma organização em quarteirões. As habitações apresentam uma planta circular ou elíptica, e em alguns casos quadrangular, com ou sem vestíbulo. A sua estrutura defensiva é composta por três linhas de muralhas, reforçadas por torrões e dois fossos, acedendo-se ao topo por uma escadaria ainda visível.

 

Visitas: De Terça a Domingo: 10.00h-13.00h 14.00h-18.00h Encerrado à Segunda-Feira e nos feriados de 1 de Janeiro, Sexta-Feira Santa, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro.

 

Preço: 2€

 

Castro de São Paio

O Castro de São Paio situa-se na freguesia de Labruge, em Vila do Conde.

É o único povoado marítimo Proto-histórico que se conhece em território português, descoberto por Fernando Lanhas e D. Domingo Pinho de Brandão nos anos 50.

Apesar de se encontrar bastante destruído, sobrevivem ainda vestígios que marcam a ocupação do local.

Fruto de uma nova estratégia de preservação do local, surge nos anos recentes o Centro de Interpretação do Castro de São Paio, um local que ajuda a compreender esta ocupação bem como os hábitos e tradições da Idade do Ferro.

 

Visitas:

Castro de São Paio: Acesso livre o ano inteiro

Centro de Interpretação do Castro de São Paio: Terça a Domingo: 10.00h – 20.00h

Preço: gratuito

 

Castelo Velho

O recinto murado do Castelo Velho situa-se em Freixo de Numão, no topo de um esporão xistoso sobre o Rio da Vila, rodeado de vales profundos que lhe acentuam o destaque na paisagem.

Ocupação do sítio do Castelo Velho terá acontecido entre o 3º milénio e cerca de 1300 a.C. Ao longo deste tempo o recinto foi sendo construído, atingindo a sua fase mais monumental por volta da 2ª metade do 3º milénio. Hoje conservam-se as bases pétreas que sustentaram esta estrutura, sobre as quais se ergueriam paredes em terra que teriam atingido 2 a 3 metros de altura.

As suas características suscitam bastante interesse na discussão sobre a utilização, contudo as investigações apontam para que este não tenha tido uma função defensiva, e por isso prefere-se a designação de recinto que se coaduna melhor com a interpretação de um sítio monumental.

 

Visitas: De Sexta a Domingo: 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Preço: sem dados

Castelo Velho. Fonte © David Pérez (DPC), Wikimedia Commons, License cc-by-sa-4.0

Ammaia

A Cidade de Ammaia localiza-se na freguesia de São Salvador de Aramenha, concelho de Marvão, possuindo uma área de cerca de 25ha.

Dos trabalhos de escavação que decorrem no sítio, conhecem-se hoje a Porta Sul, constituída por duas torres circulares e que estariam adossadas à muralha, um tanque que faria parte do complexo termal, a base de um templo e o Fórum, mas muito mais ainda há para escavar.

Para além do sítio arqueológico, pode ainda visitar-se o museu onde se encontra em exposição parte do espólio resultante dos trabalhos de escavação.

 

Visitas: Segunda a Domingo:  09.00h – 12.30h e 14.00h – 17.30h

 

Preço: sem dados

 

Villa Romana de São Cucufate

A Villa Romana de São Cucufate situa-se na freguesia de Vila de Frades, concelho da Vidigueira.

O sítio apresenta uma ocupação desde o século I até ao século IV, e são dos meados deste último século os vestígios que hoje se conhecem deste sítio arqueológico.

A visita à Villa Romana de São Cucufate não fica completa sem uma passagem pela Casa Arco, o museu que alberga parte do espólio resultante das escavações naquele local, situado Na Vila de Frades.

 

Visitas: Núcleo Museológico de São Cucufate: 10:00-13:00 e 14:00-17:30 (tarde). Encerra à segunda-feira todo o dia e terça-feira da parte da manhã, feriados, 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio, Feriado Municipal – Quinta Feira da Ascensão, 25 de Dezembro.

 

Preço: menos de 15 anos (entrada gratuita), 15-25 anos (1, 20 euros), 25-65 anos (3,00 euros), mais de 65 anos (1,20 euros). Descontos para grupos com mais de 10 pessoas ou visitantes portadores de cartão jovem. No Domingo de manhã, existe um regime promocional, onde as pessoas entram gratuitamente. Nos restantes dias, são aplicados os valores já citados.

 

Casa do Arco: de 3ª feira à tarde a Domingo: 10h00-12h30 / 14h30- 17h30. Encerra à 2ª feira, 3ª de manhã e todos os feriados.

Preço: entrada gratuita.

Altar cristão no antigo celeiro romano. Fonte: Wikipédia, Autor: Nemracc

Miróbriga

O Sítio arqueológico de Miróbriga situa-se perto da vila de Santiago do Cacém.

Trata-se de uma ocupação iniciada nos séculos VI-I a.C. e que continuou até ao século IV d.C. A localização destacada na paisagem terá permitido um vasto controlo sobre o território bem como dos diversos recursos existentes.

O Sítio Arqueológico começou a ser escavado em 1801, promovido pelo Bispo de Beja, D. Frei Manuel do Cenáculo, e conta atualmente com um Centro de Acolhimento e Interpretação para a explicação do complexo de Miróbriga.

 

Visitas: De terça a sábado das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30; Domingo das 09h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h30. Encerra à segunda-feira e feriados de 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro.

 

Preço: sem dados

 

Ruinas romanas de Milreu

 

As ruínas Romanas de Milreu localizam-se na aldeia de Estói, a 8km de Faro.

A ocupação deste sítio iniciou-se no século I d. C. e continuou até ao século XI.

A Villa Romana era composta pela residência do proprietário, residência dos trabalhadores, construções de apoio e propriedade agrícola. No século IV, foi erguido um edifício religioso para culto da família, e que ainda hoje se conservam vestígios. Este edifício foi cristianizado no século VI, e serviu também como local de culto durante o período islâmico, até ao século XI.

Entre os séculos XVI e XIX, sobre os vestígios da antiga casa romana foi erguida uma nova construção habitacional com contrafortes cilíndricos.

 

Visitas: Verão: maio a setembro – das 10.30h às 13.00h e das 14.00 h às 18.30 h

Inverno: outubro a abril – das 9.30 h às 13.00h e das 14.00 h às 17.00 h

Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Encerra às segundas-feiras e nos feriados de 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio, 7 de setembro (feriado municipal) e 25 de dezembro.

 

Preço: Bilhete individual – 2€ (para outras tipologias de preçário consultar o site http://www.monumentosdoalgarve.pt/pt/monumentos-do-algarve/ruinas-romanas-de-milreu)